sexta-feira, 29 de junho de 2012

Dia da Bicicleta conscientiza servidores da UEM


Um grupo de servidores da UEM programou o Dia da Bicicleta para esta sexta-feira, dia 29, para fomentar discussões sobre meio de transporte alternativo e conscientizar a comunidade sobre sustentabilidade urbana. Alunos, professores e servidores foram convidados a virem de bicicleta para a UEM. Mais de 300 pessoas se inscreveram para o evento e tiveram o direito a receber uma camiseta alusiva ao dia, superando a expectativa dos organizadores. 

A segunda edição será realizada em novembro deste ano.Os participantes também serão convidados a participar de um passeio ciclístico pelo câmpus sede, iniciando às 16 horas. O local de saída será próximo ao Restaurante Universitário. O passeio terá adesão dos funcionários da Sanepar e da Cocamar.

Às 14 horas, no Anfiteatro Ney Marques, está programado um debate sobre o uso da bicicleta como meio de transporte urbano. O debatedor convidado é Thiago Botion Neri, mestre pela UEM em Engenharia Civil com a dissertação Criação de uma Rede Cicloviária Integrada na Cidade.

Na quarta-feira, houve outro debate com Fernando Inada e Sidney Costa, ambos ciclistas de longa distância, que já participaram de provas de 200 e 300 km. Outras informações com o professor Carlos Sica, um dos coordenadores da atividade. Os fones de contato são 9103-9922 ou 9810-4711.

Fonte: www.uem.br

quarta-feira, 27 de junho de 2012

CAECO e mais de 30 entidades assinam Carta do Movimento "$uper$alários não, revogação já!"



Mais de 30 entidades de Maringá assinam a carta do movimento "$uper$alários não, revogação já!", que pede a reapresentação de projeto para a redução dos salários do prefeito, vice-prefeito e secretários municipais, bem como uma adequação dos valores dos assessores dos vereadores.
 
A decisão de apresentar o documento saiu na noite da última quarta-feira (20), quando cerca de 15 entidades que compõem o movimento realizaram uma reunião, no Plenarinho da Câmara de Maringá, para discutir formas de pressionar os vereadores a propor uma nova legislação que diminua o valor dos salários.

Os integrantes do movimento visitaram várias entidades maringaenses para recolher assinaturas que embasem a proposta



Maringá, Junho de 2012.
Ilmo. Sr. Mário Hossokawa.
M.D. Presidente da Câmara de Vereadores de Maringá.

Maringá – PR

Nesta
C/C: Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara de Vereadores.

O Movimento "$uper$alários não, revogação já!" por meio da sua coordenação colegiada do comitê permanente de mobilização, representada neste ato por membros das diversas entidades abaixo assinadas, reunidas na data de 20 de junho de 2012, vem por meio de esta solicitar a reapresentação de um projeto para a redução dos salários do Prefeito, Vice Prefeito e Secretários Municipais, bem como uma adequação dos valores dos Assessores dos Vereadores frente à redução dos valores dos subsídios dos mesmos!

Relacionamos abaixo os valores que consideramos adequados para cada função: prefeito, vice-prefeito e secretários municipais.

Prefeito: R$ 18.724,00
Vice-prefeito: R$ 9.020,00
Secretários Municipais: R$ 9.020,00
Assessores: Adotar o mesmo índice de reajuste de 8% concedido aos servidores municipais.

Contando com o apoio de Vossa Senhoria, subscrevemo-nos.

Atenciosamente,

Entidades que participam ou apoiam o Movimento "$uper$alários não, revogação já!".

• SISMMAR - Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Maringá.
• Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná/ SENGE-PR.
• Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná Regional Maringá/ APP Sindicato.
• RENAP - Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares.
• Conselho Arquidiocesano de Leigos e Leigas de Maringá (CALLM).
• ARAS – Associação de Reflexão e Ação Social – Caritas em Maringá
• Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Energia Elétrica de Maringá e Região Noroeste do Paraná/STEEN.
• Seção Sindical dos Doentes da UEM/SISDUEM.
• Núcleo de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável da UEM.
• Centro Social Marista Ir. Beno.
• Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de ensino de Maringá/SINTEEMAR.
• SINDESV - Maringá - PR. Sindicato dos Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância de Maringá e Região.
• Pastoral da Juventude Marista.
• Associação Cultural pela Excelência na Formação Humana.
• O Centro Acadêmico de Economia "José James da Silveira" (CAECO) da Universidade Estadual de Maringá.
• Grupo Silvamar e Caravana Amigos da Viola.
• Grupo de Rock The Flyng Heads de Maringá
• Grupo de Motociclistas de Maringá.
• GDI – Grupo de Diálogo Inter-religioso de Maringá - membros do Grupo de Diálogo Inter-religioso de Maringá subscrevemo-nos:
BAHÁ'Í: Dra. Mahasti Sahihi de Macedo
BUDISTA: Monge Eduardo Ryoho Sasaki
CANDOMBLÉ: Sra. Maria de Lourdes Nascimento [Yalorixá Sandiá]
CATÓLICO: Dom Anuar Battisti
EVANGÉLICO: Rev. Dr. Robert Stephen Newnum
MUÇULMANO: Sheikh Abdelbagi Osman
UMBANDISTA: Sra. Marilza Martins de Paiva
• Partido dos Trabalhadores de Maringá - PT
• Partido Popular Socialista de Maringá - PPS
• Partido Verde de Maringá – PV
• Partido Comunista do Brasil – Pc do B


Matéria completa:
Mais de 30 entidades assinam carta que pede diminuição de salários de prefeito, vice e secretários de Maringá





Recorde no blog:
O Centro Acadêmico de Economia, entidade civil sem fins lucrativos, partidários ou religiosos, sendo a entidade máxima de representação, coordenação e orientação do corpo discente do curso de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Maringá, vem por meio desta, a público, manifestar:

terça-feira, 26 de junho de 2012

CEBES defende a construção da UBS na zona sete e organiza Debate hoje na UEM - CAECO estará presente e declara apoio




CEBES DEFENDE A CONSTRUÇÃO DA UBS DO BAIRRO ZONA SETE NA VILA OLÍMPICA.

Em consonância com a lógica da municipalização, a construção de Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Maringá é de responsabilidade da esfera municipal de governo e tem por objetivo a garantia do acesso ao primeiro nível de assistência à saúde dos sujeitos em seu território.

A população do Bairro Zona Sete, estimada em torno de 30.000 moradores, aguarda pela construção de uma UBS desde o ano 2007 quando a Conferência Municipal de Saúde aprovou sua construção. Cabe salientar que não existe nenhum empecilho para a prefeitura construir esta UBS, haja vista que até o recurso financeiro foi repassado pelos governos federal e estadual desde o ano 2010.

É urgente uma UBS para a população do Bairro Zona Sete, para que seja desenvolvido o trabalho de atenção primária à saúde, indispensável para a saúde da coletividade; é urgente para “desafogar” o fluxo de pessoas atendidas na UBS da Vila Esperança, hoje, considerada referência também pelos moradores da Zona Sete.

Entretanto, não obstante essa urgência, para o Núcleo Regional Maringá do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (CEBES) que tem por objetivo organizar e fomentar debates, estudos e pesquisas na área da saúde, além de lutar pela melhoria das condições de vida e de saúde do povo brasileiro, a UBS jamais pode ser construída no terreno da Universidade Estadual de Maringá (UEM) pelas seguintes razões:

1) A construção e a administração da UBS, como já foi mencionado anteriormente, é de responsabilidade total da Prefeitura Municipal e não da UEM;

2) É imprescindível que toda UBS esteja localizada no terreno da Prefeitura. Sua localização em qualquer “área fechada” cria, de um lado, barreira natural para o acesso da comunidade externa à ela e, do outro, privilégio natural à comunidade interna. Ora, todo privilégio gera discriminação contrariando os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) de Universalização e equidade no acesso aos serviços de saúde.

3) A gestão compartilhada entre os gestores municipal e estadual deverá gerar conflitos, em especial na contratação de profissionais e nos processos de trabalho, sinalizando assistência inadequada ou não assistência aos usuários.

O Núcleo do Cebes Regional Maringá indica e defende a construção da UBS do Bairro Zona Sete junto à Vila Olímpica que já concentra áreas estritamente ligadas à saúde, como restaurante popular e esporte, o que é consoante aos propósitos da declaração da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2008 de incentivar a promoção e o cuidado à saúde.

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO – CEBES REGIONAL MARINGÁ

Fonte: COORDENAÇÃO DO NÚCLEO – CEBES REGIONAL MARINGÁ






OFÍCIO Nº 01/2012

O Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (CEBES) convida V. Sa. para encampar a luta pela construção imediata da Unidade Básica de Saúde (UBS) no Bairro Zona Sete.

É importante informar a todos que a aprovação da construção de UBS na Zona Sete foi deli...berada na Conferência Municipal de Saúde de Maringá, em 2007, o recurso financeiro se encontra no Banco desde 2010 e espaço físico na Vila Olímpica não falta. Contudo, seis anos passados ainda não foi construída uma UBS na Zona Sete, não obstante tenha prova concreta da sua demanda.

Por isso, o CEBES está convidando entidades e instituições situadas, sobretudo, neste bairro para discutir a falta de cobertura em atenção básica da Zona Sete.

NO DIA – 26 DE JUNHO DE 2012
HORÁRIO - ÀS 19:30 HORAS
LOCAL – DACESE – BLOCO 125 - UEM

"VAMOS TODOS LUTAR CONTRA A FALTA DE COBERTURA EM ATENÇÃO BÁSICA DA ZONA SETE".




O Centro Brasileiro de Estudos de Saúde, desde sua criação em 1976, tem como eixo principal de seu projeto a luta pela democratização da saúde e da sociedade. Nesses mais de 30 anos de atuação, como centro de estudos que aglutina profissionais e estudantes, assegurou seu espaço como produtor de conhecimentos com uma prática política concreta, seja em nível dos movimentos sociais, das instituições do país e do parlamento brasileiro.

Durante toda sua trajetória, e cada vez mais, o CEBES continua empenhado em fortalecer seu modelo democrático e pluralista de organização; em orientar sua ação para o plano dos movimentos sociais, sem descuidar de intervir nas políticas e práticas parlamentares e institucionais; em aprofundar a crítica e a formulação teórica sobre as questões de saúde; em contribuir para a consolidação das liberdades políticas e para a constituição de uma sociedade mais justa em nosso país.


Convite feito pela COORDENAÇÃO DO NÚCLEO – CEBES REGIONAL MARINGÁ



CAECO estará presente e declara apoio total a construção da UBS na zona sete

Comprometido com as demandas sociais o Centro Acadêmico de Economia José James da Silveira - CAECO da Universidade Estadual de Maringá - UEM estará presente no Debate de hoje promovido pelo CEBES.

Em reunião da entidade realizada no último domingo (26) a Gestão UNIÃO 2012 deliberou pelo apoio total a construção da UBS na zona sete e se coloca a disposição da comunidade para ser um instrumento de apoio nesta legítima Luta dos moradores e da sociedade maringaense.

Após o Debate de hoje, embasado na visão e anseio dos moradores da zona sete o CAECO elaborará uma Carta de apoio e publicará em suas mídias sociais.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Professores Nilmen Salles e Luiz Alberto são empossados e assumem a Direção do CSA



O Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Estadual de Maringá (CSA) tem nova diretoria. Os professores Nilmen Salles e Luiz Alberto Araújo, respectivamente, assumiram como diretor e diretor-adjunto do CSA, no dia 25 deste mês, substituindo aos professores Clóvis de Souza e Antônio Carlos de Campos. A solenidade foi conduzida pelo reitor Júlio Santiago Prates Filho.
Durante seu discurso de despedida, Souza comentou que o momento não era de tristeza, mas de alegria. Destacou a grandiosidade do CSA e de seu potencial humano grande e valioso a serviço da Universidade. Comentou sobre sua trajetória na Instituição como aluno, professor e em cargos de chefia, direção e dentro do Conselho Universitário e Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. Disse que terminava sua vida na UEM como aprendiz, com a satisfação de exercer cargos, de aprender, de ensinar e de servir. Agradecendo o apoio recebido ao longo da gestão, também desejou aos novos dirigentes do CSA muito sucesso, assim como à Reitoria, à administração e aos presentes.


Salles agradeceu à direção antecessora do CSA pelo trabalho realizado no Centro e pela sua postura democrática, que possibilitou sempre o diálogo e valorizou as decisões e posturas dos departamentos afetos ao CSA. O novo diretor rogou a Deus que desse sabedoria e inteligência para continuar o excelente trabalho desenvolvido. Comentou que a ocasião era um marco de responsabilidade e preocupação com os desafios que iriam enfrentar. Disse que acreditava que os desafios, apesar de grandes, poderiam ser vencidos como mostra a história da UEM, que supera os obstáculos e conquista reconhecimento nacional e internacional. Finalizou ressaltando que uniriam forças com todos que tratam a coisa pública com zelo e responsabilidade.
O reitor Prates Filho destacou que, em seus 42 anos de vida, a UEM obteve muitas conquistas e apresentou um crescimento expressivo em todos os segmentos, possibilitando que grande parte população se inserisse no ensino superior e que houvesse inclusão, cidadania, crescimento profissional e pessoal. Reconheceu que a Universidade enfrenta muitos desafios e que há uma luta constante de convencimento do governo sobre as causas da UEM, mas disse que acreditava que os obstáculos poderiam ser vencidos. Para ele, a gestão é o meio de viabilizar os objetivos e que se fossem colocados, como fio condutor, o valor acadêmico, o valor científico, o valor institucional, ouvindo a comunidade, poderíamos avançar. Falou que a gestão administrativa deveria continuar a serviço da coletividade e buscar a melhoria da Universidade. Deveria ser feita baseada nos aspectos legais, éticos, de racionalidade e de responsabilidade. Agradecendo aos dirigentes que saiam, comentou que a nova diretoria contribuiria com os avanços da Instituição.

Na foto junto com o novos Diretores do CSA e representando o Centro Acadêmico de Economia José James da Silveira - CAECO  o Presidente do Centro Acadêmico Rafael Crozatti, o Tesoureiro Anderson de Castro e o Presidente do Conselho dos Representantes de Turma Luigi Soncin

"Temos confiança na administração dos Professores Nilmen Salles e Luiz Alberto frente ao nosso Centro, os desafios são muitos, principalmente, diante da conjuntura que a própria Universidade se encontra inserida, contudo, a experiência acumulada pelos dois e o diálogo e respeito demonstrado para com todos e com todas, em especial destaco  com o Movimento Estudantil e com o nosso CAECO, serão os elementos vitais para a superação de tudo que se apresentará. Tenho certeza que juntos, construíremos um CSA cada vez mais forte"
Rafael Crozatti -Presidente do CAECO
Fonte: UEM

domingo, 24 de junho de 2012

Novos Diretores do CSA serão empossados nesta segunda-feira na UEM



Novos Diretores do CSA serão empossados nesta segunda-feira na UEM

O Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Estadual de Maringá (CSA) terá nova Diretoria.

A posse dos Professores Nilmen Salles e Luiz Alberto Araújo, respectivamente, como Diretor e Diretor- Adjunto do CSA, será nesta segunda-feira dia 25 de junho.

A solenidade, que será conduzida pelo Reitor Professor Júlio Santiago Prates Filho e pela Vice-Reitora Professora Neusa Altoé, começa às 9 horas, na sala dos Colegiados Superiores, térreo da Reitoria.

Eleitos no último dia 24 de abril, os novos Diretores do nosso Centro substituírão os Professores Clóvis de Souza e Antonio Carlos de Campos, respectivamente, Diretor e Diretor- Adjunto que dirigiram o CSA nos últimos quatro anos.


Saiba um pouco mais sobre os nossos novos Dietores de Centro


DIRETOR: PROFESSOR NILMEN SALLES

.Chefe do Departamento de Economia por três Gestões

.Chefe Adjunto do Departamento de Economia por uma Gestão

.Coordenador do Colegiado do Curso de Ciências Econômicas por uma Gestão

.Representante do Departamento de Economia no COU por quatro mandatos




DIRETOR ADJUNTO: PROFESSOR LUIZ ALBERTO ARAUJO

.Diretor Adjunto do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CSA), por uma Gestão

.Chefe do Departamento de Direito Público, por uma Gestão:

.Chefe Adjunto do Departamento de Direito Público, por uma Gestão

.Coordenador do Colegiado do Curso de Direito, por uma Gestão

.Implantou e Coordenou o Instituto de Estudos Japoneses da UEM

.Representante no COU, por uma Gestão


sábado, 23 de junho de 2012

Assembleia do último dia 21 de junho mantêm indicativo de greve e organiza paralisações na UEM




Servidores da UEM mantêm indicativo de greve e organizam paralisações (O Diário de Maringá)

A assembleia ocorreu um dia após uma nova rodada de negociação entre os sindicatos que representam a categoria e o Governo do Estado. No encontro de quinta-feira (21) em Curitiba, o governo propôs uma nova metodologia de trabalho para organizar o PCCS que exclui os reitores das universidades estaduais do Paraná.

Segundo o presidente do Sindicato em Estabelecimentos de Ensino em Maringá (Sinteemar), Éder Rossato, a proposta foi aceita pelos servidores, porém com ressalvas. "Nós aceitamos que os trabalhos fiquem a cargo das centrais sindicais, mas queremos a participação da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e da Secretaria da Administração e Previdência (Seap) para garantir que as discussões não fiquem apenas na conversa", diz.

Outra ação do movimento será o envio de expedientes a autoridades políticas - prefeitos, vereadores, deputados e senadores - de Maringá e demais cidades onde a UEM se faz presente através de extensões como intuito de informá-los sobre a política do governo estadual frente às universidades.

"Neste documento serão relatados os cortes de verbas, as condições de trabalho de professores e servidores e, principalmente, a falta de valorização do capital humano demonstrado por meio da demora e descaso com a restruturação dos PCCS", diz Rossato.

Ainda segundo o presidente do Sinteemar, as autoridades serão convidadas a participar dos atos e das audiências públicas previstas no calendário de mobilização. "Essa briga não é só dos servidores, até porque a UEM não pertence a categoria, a UEM é da comunidade", justifica.

Sobre uma possível interferência no concurso vestibular de inverno da UEM, Rossato diz que a possibilidade não foi descartada e será debatida no proximo dia 29 de junho.

A primeira paralisação vai acorrer em Cascavel com a participação dos sindicatos de todas as universidades estaduais. Em Maringá, os atos estão agendados para a segunda quinzena de julho. O calendário prevê mobilizações e paralisações até o início de agosto, data do indicativo de greve e fim do recesso acadêmico em todo o Estado.

Fonte: O Diário de Maringá


Desorganização e incompetência  do Governo revolta Servidores (SINTEEMAR)

Na tarde de hoje, 22 de junho, foi realizada no Restaurante Universitário (RU-I), nova sessão da assembleia permanente para transmitir os informes da reunião com o governo ocorrida na quinta-feira, 21.

Segundo o presidente do SINTEEMAR, Eder Rossato, o secretário da SETI, Alípio Leal, informou que há necessidade de se buscarem alternativas para definir os novos rumos da negociação. A crítica do secretário é que há divergências de alguns gestores das IEES, com relação ao PCCS dos Técnicos, dificultando assim a continuidade das negociações.

Ainda segundo Alípio Leal, a tabela salarial não será implementada por falta de recursos financeiros, por isso apresentou a necessidade de se buscar uma terceira via, ou seja “que a negociação continue somente com os sindicatos e secretarias”. Ainda, de acordo com os informes, o clima ficou tenso na reunião, quando foi questionado ao secretário o que passaria, então, a ser discutido nas reuniões entre sindicatos e governo, devido a impossibilidade de avanço nas negociações.

Não houve consenso , pois o representante do governo já queria aprovar esta nova metodologia, contudo o SINTEEMAR defendeu que essa nova medida deveria ser aprovada em assembleia pela categoria, sendo que os sindicatos não teriam autonomia para deliberar sobre essa mudança no rumo das negociações. Segundo o presidente do SINTEEMAR, "nós nunca fizemos isso e nem nunca faremos nada sem consultar os servidores. O problema é que há a desorganização e a incompetência do governo no encaminhamento das negociações".

Em linhas gerais, foi unânime entre todos os sindicatos das IEES deliberar por manter as mobilizações/paralisações no decorrer do mês de julho, bem como o indicativo de greve na primeira semana de agosto, no caso da UEM, já a partir de 1º de agosto. O que vemos acontecer com frequência é o governo demonstrando para a mídia e para a população que os sindicatos não querem negociar, exatamente o contrário da nossa realidade.

Após os informes a palavra foi aberta para que os presentes pudessem expressar mais uma vez sua revolta e, além disso, deliberarem os próximos encaminhamentos, os quais em seguida foram submetidos à aprovação pela assembleia.

Deliberou-se assim por continuar a negociação com o governo, exigindo-se a participação da SEAP e da PGE, bem como a finalização dos trabalhos nas próximas semanas.

A agenda de negociação e mobilização, aprovada em assembleia, ficou assim definida:

29/06 – Paralisação em Cascavel com apoio das demais entidades;

Julho – campanha visual com intensificação dos cartazes, boletins, propagandas e divulgação na mídia.

Também foi aprovado o encaminhamento à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e à Federação Nacional dos Servidores Públicos Estaduais e do Distrito Federal (Fenasepe) o descaso do Governador Beto Richa para com o servidor público estadual paranaense, em especial, das universidades, visando a divulgação em todo o país.

Outra proposta aprovada foi a de sensibilização dos prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, Associações Comerciais de Maringá e região, bem como das cidades nas quais a UEM possui extensões, sobre os prejuízos que todos terão em função do “desmonte silencioso” promovido pelo Estado, nas universidades públicas estaduais. Esse desmonte consiste na não contratação de professores e técnicos, no corte do orçamento das IEES, perda da autonomia, terceirizações e não valorização do nosso capital humano, além da não reestruturação dos PCCS dos docentes e técnicos.

Esta situação deixa os servidores revoltados e pode acarretar na deflagração de uma greve em agosto.

Também foi aprovado cobrar da Reitoria que se manifeste acerca dos acontecimentos atuais e que atenda à solicitação da categoria que foi apresentada pelo sindicato, através de comunicado, até hoje não respondido.

Entendemos que essa morosidade e a retirada, nesse momento, dos RH´s e da SEAP das negociações é estratégia do Governo para ganhar tempo e uma tentativa de nos desmobilizar. Porém, não vamos cair nessa estratégia!

Estamos mobilizados e atentos!

Reforçamos ainda, que nossa assembleia é permanente desde o dia 19/06!

Outra sessão desta assembleia será convocada para o dia 29/06!

Fonte: SINTEEMAR


Secretário se reúne com sindicatos no dia 21/06 (SETI)

O secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), Alípio Leal, recebeu representantes de cinco sindicatos que reúnem os servidores técnico-administrativos das universidades estaduais do Paraná. Por mais de três horas, eles discutiram alguns itens da adequação da Lei 15.050/2006, que trata da carreira destes servidores, porque alguns foram considerados inconstitucionais pela Justiça.

O resultado da discussão sobre a legislação vai servir de base para a fixação de um Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) para os servidores técnicos das universidades estaduais.

De acordo com o secretário, o governo está totalmente aberto a negociações e mantém aberto o diálogo com os sindicatos.

Fonte: SETI

sexta-feira, 22 de junho de 2012

UEM contrata Professores - As inscrições vão de 21 a 27 de junho




Nos últimos anos a UEM cresceu e com esse crescimento veio a necessidade de expansão, dentre elas a de contratação de Professores. 

O déficit de docentes se apresenta de duas formas: a primeira pela ausência física em sala de aula, onde turmas ficam sem Professores e contéudos fundamentais deixam de ser dados, a outra é mais velada e não menos preocupante, se apresentando no excesso de trabalho que os atuais acabam por ter que realizar. Diante deste cenário, a vinda de novos Mestres se torna indispensável, contudo, não é ainda suficiente, necessitamos de mais Professores e além disso, uma remunerção condizente com a sua importância para o Desenvolvimento do nosso país. 

Esta é uma das LUTAS do nosso Centro Acadêmico de Economia José James da Silveira - CAECO, fazendo parte de todas as nossas pautas de reivindicação e atuação.

É válido vivar que esse passo expresso no Edital 139/2012-PRH é importante, mesmo que insuficiente do ponto de vista quantitativo e qualitativo, sob alguns prismas de análise.


UEM contrata Professores - As inscrições vão de 21 a 27 de junho.

A Universidade Estadual de Maringá contrata 46 professores temporários para 36 áreas de conhecimento ou matérias. 

O teste seletivo é regido pelo Edital 139/2012-PRH. As inscrições vão de 21 a 27 de junho. As provas serão realizadas de 10 a 13 de julho.



Confira o Edital 139/2012-PRH: Edital Completo


Outras informações pelo site www.uem.br/concurso ou pelo e-mail concurso@uem.br.


Fonte: UEM

quinta-feira, 21 de junho de 2012

EAIC e EAIT abrem inscrições para trabalhos - Os dois Encontros serão na UEM


Estão abertas as inscrições de trabalhos para o 21º Encontro Anual de Iniciação Científica (Eaic) e o 2º Encontro Anual de Iniciação Tecnológica e Inovação (Eati), que serão realizados na Universidade Estadual de Maringá de 9 a 11 de outubro. O tema central dos eventos é A Iniciação Científica & Tecnológica no Século XXI. A solenidade de abertura será no dia 9, às 20 horas, no Clube Olímpico, com a presença de reitores e pró-reitores das universidades estaduais do Paraná, representantes do CNPq e Fundação Araucária. Nos dias 10 e 11, das 8h30 às 18 horas, na UEM, serão feitas as apresentações em grupos de trabalho e comunicações orais. A expectativa é que sejam inscritos mais de três mil trabalhos.

O prazo de inscrição para apresentador termina no dia 31 de julho e o valor é de R$ 50,00. Para ouvinte, o prazo termina no dia 8 de outubro e o valor da inscrição é de R$ 25,00. Os eventos são organizados pela UEM, com co-execução das universidades estaduais de Londrina (UEL), Ponta Grossa (UEPG), Oeste do Paraná (Unioeste), Centro-Oeste (Unicentro) e Norte do Paraná (Uenp). Outras informações pelo site  www.eaic.uem.br, ou fone (44) 3011-3850.


 
 
 
HISTÓRICO DO EAIC
 
O 1º Encontro Anual de Iniciação Científica – EAIC foi realizado na Universidade Estadual de Maringá, no campus sede. Desde o início vem cumprindo o seu papel de promover a interação entre as universidades estaduais do Paraná e de estabelecer um ambiente propício à difusão da ciência em todas as áreas do conhecimento. Passados 21 anos de existência, o evento encontra-se consolidado e tornou-se parte integrante do calendário acadêmico/científico do estado do Paraná. Por acolher não só jovens pesquisadores das universidades paranaenses, mas por estar aberto à participação de estudantes de outras IES brasileiras e, por ter atingido uma magnitude que poucos eventos possuem, o EAIC caracteriza-se como um evento nacional.
 
Inicialmente organizado pela UEM, UEL e UEPG (fundadoras - 1991), ao longo dos anos somaram-se as nossas coirmãs UNIOESTE (1995), UNICENTRO (2002) e UENP (2009) na organização do evento. A ação conjunta dessas seis universidades estaduais é sem sombra de dúvida um fator preponderante no sucesso do EAIC. Um evento que se iniciou timidamente em 1991, com 274 participantes, tem a estimativa de mais de 3.000 participantes na sua 21ª edição em 2012.

21º EAIC

O 21º EAIC realizar-se-á na Universidade Estadual de Maringá, no campus sede, no período de 9 a 11 de outubro de 2012, sob a responsabilidade da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UEM. Paralelamente, será realizado o 2º EAITI. Serão apresentados, aproximadamente, 3.500 trabalhos resultantes de projetos de iniciação científica dos programas PIBIC/CNPq-FA, Ações Afirmativas para Inclusão Social/CNPq – FA e IC voluntário (sem bolsa). Todos os trabalhos apresentados no evento vinculam-se a projetos de pesquisa de pesquisadores/orientadores das IES envolvidas.

A participação em projetos de iniciação científica comprovadamente contribui para o ingresso do aluno em Programas de Pós-Graduação e, além de complementar a sua formação acadêmica e de introduzir o aluno na pesquisa científica, é fundamental para a formação de recursos humanos qualificados.

O EAIC é um momento ímpar para a troca de experiências, exposição de ideias e debates em todas as áreas do conhecimento.


HISTÓRICO DO EAITI

Ao longo da história da humanidade, o desenvolvimento de atividades produtivas foi fundamental para a melhoria da qualidade de vida da população e nos dias atuais vem se tornando cada vez mais importante o investimento no desenvolvimento econômico sustentável, com base no uso de ciência e tecnologia.

Visando a disseminação do processo de desenvolvimento tecnológico na academia e na sociedade, a partir de 2007, o CNPq passou a conceder quotas de bolsas a alunos de graduação por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação - PIBITI. Este Programa contribui para a formação de recursos humanos na área tecnológica e, consequentemente, contribui para o desenvolvimento científico e tecnológico do país, possibilitando a inovação.

Devido ao perfil diferenciado dos projetos desenvolvidos pelos bolsistas PIBITI em relação ao bolsista PIBIC, tornou-se necessária a organização de um evento paralelo ao EAIC que contemplasse tais projetos. Foi idealizado, então, o evento denominado Encontro Anual de Iniciação Tecnológica e Inovação – EAITI, cuja primeira edição ocorreu em 2011 em Ponta Grossa, paralelamente ao 20º EAIC e, cujo objetivo é proporcionar um espaço adequado para a apresentação dos resultados obtidos pelos jovens pesquisadores que realizam projetos de iniciação em desenvolvimento tecnológico e inovação.

Neste ano, a 2ª edição do EAITI, realizar-se-á no campus sede da Universidade Estadual de Maringá, no período de 9 a 11 de outubro de 2012, sob a responsabilidade da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UEM.

Fonte: UEM

quarta-feira, 20 de junho de 2012

I EPECO discute o currículo e o mercado de trabalho dos Economistas - Acadêmicos de Economia da UEM estiveram presente


Realizado pelo Conselho Regional de Economia do Paraná - CORECON PR.

O evento foi resultado da nova política do Conselho que visa a sua aproximação com os Estudantes de Ciências Econômicas do Paraná, atendendo uma demanda importante que é o Debate sobre a nossa Profissão e o nosso Mercado de Trabalho.

Desde 2011 o CORECON PR está entrando em contato com os Centros Acadêmicos de Economia do estado com o intuito de criar ações que beneficiem ainda mais a formação do futuro Economista. 

O primeiro passo foi o Registro de Estudantes já a partir do 1º ano da graduação (sem custo). 

Além disso, o EnTENDA Economia (que o CAECO participou em 2011 aqui em Maringá) busca o contato entre o acadêmico de Economia e a comunidade. 

O Centro Acadêmico de Economia José James da Silveira da UEM parabeniza o CORECON PR pela iniciativa e se coloca como sempre a disposição do Conselho para o avanço nessas importantes realizações em prol da Profissão do Economista, etapa seguinte do hoje acadêmico de Economia.




I EPECO DISCUTE O CURRÍCULO E O MERCADO DE TRABALHO DOS ECONOMISTAS

Evento realizado em Foz do Iguaçu contou com palestra do economista e professor Carlos Lessa. 
O Conselho Regional de Economia do Paraná (Corecon-PR) promoveu no dia 07 de junho, em Foz do Iguaçu, no Viale Cataratas, o 1º Encontro Paranaense de Economistas e Estudantes de Economia, que teve como tema o “Currículo e o Mercado de Trabalho dos Economistas”. O evento reuniu especialistas em mercado para discutir os rumos da profissão, entre eles, o economista e professor Carlos Lessa, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que abriu a programação. 
Lessa falou sobre a profissão do economista e também sobre os rumos da economia brasileira, traçando um parâmetro com outros países no desenvolvimento, além de mencionar um dos maiores problemas do Brasil, a logística. Segundo ele, o país tem potencial para crescimento. ”O Brasil é o país potencialmente preparado. De fato, porque avançamos em ciência e tecnologia, e principalmente porque crescemos em capital, independente de ser público ou privado”, comenta o palestrante que destacou as inúmeras riquezas que o Brasil possui, além do povo acolhedor e do clima tropical. 
No comparativo com a China, ele diz que o Brasil está mais avançado em algumas áreas, entre elas, o processo de urbanização, pela qual o Brasil já passou, e que hoje, 80% da população é urbana, enquanto na China, mais da metade ainda está no campo, por isso, eles terão que passar ainda por este processo. Sem contar, que a economia chinesa é explorada pelo capital americano, pois 70% das exportações do país são de filiais norte-americanas presentes no país. 
O professor Lessa ainda destacou o problema atual do Brasil. “São dois problemas que merecem atenção, o da ausência de um projeto nacional e a baixa auto-estima do brasileiro, além do baixo exercício da identidade nacional”. 
No período da tarde foram realizados dois painéis, um sobre “O mercado de trabalho dos economistas” e o outro abordou “O currículo do curso de economia e o mercado de trabalho”. 
O economista Edson Roffé Borges, do Pará, fez uma explanação sobre “O mercado de trabalho dos Economistas”, falando sobre as oportunidades que podem ser encontradas no mercado, alertando que para atender a demanda é preciso que o profissional esteja inserido no meio, tendo em mente ainda quando está na faculdade a área que pretende atuar e procurar se especializar no segmento. Segundo ele, há inúmeras possibilidades para este profissional, como as áreas de planejamento, projetos, perícia econômico-financeira, em instituições financeiras, em assessoramento em análise de processos jurídicos, entre outros. 
No segundo painel o economista e professor da Fae Centro Universitário, Gustavo Nunes Mourão, apresentou um estudo sobre os cursos de graduação no Paraná, Brasil e em outros países para analisar o conteúdo programático adotado pelos cursos de economia. Segundo ele, uma das grandes dificuldades para o vestibulando na hora de optar pelo curso de economia é ter conhecimento sobre o trabalho do economista, de como está o mercado de trabalho, as possíveis colocações e a remuneração. 
De acordo com Mourão, é importante para o economista investir na especialização, não parar na graduação, pois assim poderá adquirir mais conhecimento na área que pretende atuar. 
O assunto sobre o currículo do curso de economia também foi tema da reunião realizada no dia 08, que reuniu o Corecon-PR com os coordenadores do curso das principais instituições do Paraná. 
Na avaliação do presidente do Corecon-PR, o economista Eduardo Moreira Garcia, a realização do 1º EPECO foi produtiva. “Ele proporcionou debates importantes sobre as grandes problemáticas dos nossos cursos hoje, que são, baixa demanda, evasão e a colocação no mercado de trabalho. Pode-se observar que os cursos de economia de referência no Brasil e no Mundo possuem uma identidade, que está relacionada com o conteúdo que possuem em sua grade curricular, enquanto na maioria dos cursos no Paraná está identidade não existe.
A programação do minicurso de Introdução a Perícia Econômico-Financeira encerrou as atividades do EPECO, com a aplicação dos seguintes módulos: Mercado de Trabalho do Perito e Assistente Técnico Econômico-Financeiro, Introdução a Avaliação de Empresas em Processos Judiciais, Introdução à Análise de Contratos Bancários e Perícia Judicial Econômico-Financeiro – Exposição de Perícia – Contrato de Abertura de Crédito Cheque Especial, ministrados pelos economistas especialistas em perícia, Sérgio Guimarães Hardy, Elhanã Marcelino Farias, Carlos Alberto Gandolfo e João Carlos Leonello. 




Fonte: CORECON PR 

UEM firma convênio com universidade argentina



Na tarde de ontem (19), a UEM assinou uma parceria com a Universidad Nacional de Santiago del Estero (UNSE), da Argentina. O ato busca dar continuidade ao objetivo de incrementar os convênios com universidades estrangeiras para ampliar a inserção da UEM no cenário internacional.
Na reunião, além de firmarem formalmente o convênio, o reitor da UEM, Júlio Santiago Prates Filho, e a reitora da UNSE, Natividad Nassif, puderam trocar experiências e informações sobre as respectivas universidades. A representante da instituição argentina também conheceu as instalações da Incubadora Tecnológica de Maringá, do Núcleo de Pesquisas em Limnologia, Ictiologia e Aquicultura (Nupelia) e o Complexo de Centrais de Apoio à Pesquisa (Comcap).
Santiago del Estero, onde a UNSE foi fundada, em 1973, é considerada a cidade mais antiga da Argentina.


Fonte: UEM

segunda-feira, 18 de junho de 2012

ENDEAVOR EVENTOS - (Re)DefinindoNegócios, Observando oportunidades


O seu negócio está na gaveta ou caminhando lentamente?

Já está na hora de abrir o olho e enxergar as oportunidades!

A primeira edição dos E-talks em Maringá traz o diretor de novos negócios do grupo GRPCOM, Eduardo Fontana, para falar justamente do que ele mais entende: Oportunidade de negócio e Inovação. E como tempo é dinheiro, o conteúdo é bem distribuído em apenas 30 minutos, de maneira muito prática e ferramental. Essa é a sua chance de saber de um especialista qual é a melhor forma de identificar e aproveitar as oportunidades que surgem no mercado e como criar sua própria oportunidade.

Dando sequencia ao E-talk, Alessio Alionço, sócio-fundador do guia de opiniões e ofertas LOCAIS Acesso Zero conta como é, aos 24 anos, começar seu próprio negócio. E mais importante, como fazer dar certo.

Conheça os palestrantes:

Eduardo Fontana | Diretor de Novos Negócios GRPCOM
Engenheiro Civil, formado pela PUC-PR, mestre em Engenharia de Produção pela UFSC e em Gestão, Sistemas de Informação e Inovação pela London School of Economics. Eduardo Fontana trabalhou na pratica de estratégia da Accenture e implementou a área de estratégia de tecnologia na mesma empresa na américa latina. Trabalhou na área de desenvolvimento de negócios da Andrade Gutierrez e foi vice presidente de estratégia para américas do norte latina da empresa Telemedia Development baseada na California. Hoje, ocupa o cargo de Diretor Executivo de Novos Negócios de um dos dez maiores grupos de mídia do Brasil, o GRPCOM - Grupo Paranaense de Comunicação.

Alessio Alionço | Sócio-Fundador Acesso Zero
Formado em administração pela Universidade Federal do Paraná e concluindo MBA em finanças, Alessio Alionço foi presidente da JR Consultoria - UFPR, empresa júnior do setor de ciências aplicadas da UFPR até 2007. Posteriormente, trabalhou com fusões, aquisições e revitalizações de empresa. No final de 2008, fundou a loja online de serviços Acessozero.


Serviço
Data: terça-feira, 19 de junho de 2012
Horário: 19h00
Local: Av. Guedner, 1610 Auditório Dona Etelvina - Cesumar - Maringá/PR


PROGRAMAÇÃO
19h- Recepção
19h30- Primeiro Painel
20h - Segundo Painel
20h30 - Perguntas e Respostas
21h00 - Networking e Coffee

Interessado? As inscrições são gratuitas e as vagas limitadas! Faça seu login e clique no botão abaixo, e pronto, você já está inscrito! Ainda não é cadastrado no Portal? Clique aqui e cadastre-se já (é de graça e super rápido).


68% da Universidades Federais já adotam a PARIDADE - Economia UEM começa discutir tema


Nos últimos processos eleitorais que os acadêmicos de Economia da UEM participaram, seja na escolha de seus Dirigentes (Diretor de Centro, Chefe e Coordenador de Curso) e, principalmente, na escolha de seus representantes Discentes, a maturidade e o comprmetimento político vem se destacando. Conscientes da importância do voto e de sua consequência para os rumos da Universidade, a sua presença nas urnas se tornou marcante.

Prova disso é o avanço Democrático que faz parte da administração do Centro Acadêmico, com a realização periódica de Assembleias de curso, instituição do Conselho dos Representantes de Turma, formação de Comissões Discentes, como no PDI, e os avanços que já tivemos na transição das grades no começo do ano, resultado da mobilização dos Acadêmicos.

Esse Movimento de Politização, Legítimo, Independente e Democrático que toma conta do Bloco C-34 começa amadurecer a discussão referente a participção percentual nas eleições para Diretor de Centro, Chefia e Coordenação de Curso. Ele ganha reconhecimento quando notamos as Pautas que levanta, a preocupação com a Educação Pública, Gratuita e de Qualidade!!! e tamanho conhecimento que demonstra acerca do andamento da Universidade, do seu momento, do seu funcionamento.

É uma conjugação de fatores que faz a cada dia surgir uma gota que ao cair em nosso colo se traduz em: QUEREMOS UMA DEMOCRACIA EFETIVA, que vai muito além da fala, que em certos momento se tornou até a contradição de sua definição, que através das práticas usou dela: da Democracia para justamente não ter ela: a Democracia.

O papel do nosso Combativo Centro Acadêmico de Economia é criar espaço para essa discussão e trilhar com a Nação Acadêmica nossos próximos passos!!!

O segundo semestre será de LUTA!!!! Pela maior participação percentual dos Acadêmicos nas eleições do CSA e DCO!!!! E como sempre, contamos com VOCÊS!!!


por
Rafael Crozatti
Presidente do CAECO





De 54 universidades federais, 37 adotam paridade nas eleições para reitor

Das 54 universidades federais brasileiras, 37 delas (68% do total) adotam modelo paritário nas eleições. Segundo levantamento realizado pela UnB Agência, apenas 16 universidades usam o modelo proporcional, onde os votos dos professores têm 70% do peso total, enquanto alunos e servidores têm 15% cada. A Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFSCPA), que ainda não realizou eleições, pretende adotar o modelo universal, onde os votos são contados individualmente, sem diferença entre os segmentos. Veja lista completa ao final da matéria.

“Acho que a alta adesão das universidades federais ao modelo paritário reflete a legitimação do princípio da autonomia universitária”, avalia o reitor Edward Brasil, que está em seu segundo mandato à frente da da Universidade Federal de Goiânia (UFG). Na maior e mais antiga universidade federal do Brasil, a do Rio de Janeiro, o modelo paritário é adotado desde a redemocratização do país, no final dos anos 80. “O último reitor havia sido imposto pelo ministro da Educação, que escolheu o terceiro da lista tríplice enviada”, afirma o reitor Carlos Antônio Levi. A mudança aconteceu após uma união de forças da universidade contra a intervenção estatal. “Hoje este modelo está consolidado”, diz. Segundo ele, a cada eleição o Conselho Universitário reafirma o consenso da comunidade acadêmica.

Em Alagoas, a paridade também é antiga, sendo adotada nas eleições dos últimos 25 anos. “Algumas unidades acadêmicas ainda hoje preconizam a proporcionalidade, mas isso não tem grande aceitação do conjunto da universidade”, afirma o reitor da UFAL, Eurico de Barros Lôbo. Na Bahia, o Conselho Universitário adotou a paridade em 1992, segundo a reitora Dora Leal Rosa. Os professores pediam a mudança desde 1984. Hoje, os 38 mil estudantes da UFBA discutem aumentar ainda mais a sua participação no pleito, de 33% para 40% ou mais, por exemplo. “Nas eleições de 2010, parte dos estudantes reivindicava maior peso para o voto estudantil e outra parte falava em voto universal”, lembra.

Na Universidade Federal Fluminense (UFF), a mudança foi recente. O atual reitor Roberto Salles foi eleito com voto paritário pela primeira vez em 2006. “Houve uma pressão legítima dos estudantes e muitos professores já eram favoráveis. Então foi uma conjunção de vontades", afirma. "A lei tem que ser mudada para se adequar ao momento atual”, defende.


MODELO PROPORCIONAL – A UFMG é uma das universidades que segue o modelo proporcional. “Na administração superior, tem sido 70% para professores, 15% para servidores e 15% para alunos. As outras unidades têm autonomia para redistribuir o percentual das duas últimas categorias, mantendo sempre 70% para os professores”, explicou o reitor Clélio Campolina Diniz. Porém, a mudança deve entrar na pauta nos próximos meses, motivada principalmente pelas reivindicaçõs dos funcionários. “A universidade é um espaço democrático, todos podem opinar. Por isso, os percentuais deverão ser rediscutidos durante a minha gestão”, afirmou.

No Ceará, a fórmula 70-15-15 está consolidada. A universidade federal do estado reforçou essa posição após dois plebiscitos feitos entre os professores, um 1999 e outro em 2003. “O argumento principal é de que se o reitor não tem maioria dos professores não terá liderança acadêmica”, diz o professor Roberto Bezerra, ex-reitor da UFC.


Universidade Federal do Rio de Janeiro PARITÁRIO

Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) PARITÁRIO

Universidade de Brasília (UnB) PARITÁRIO

Universidade Federal da Bahia PARITÁRIO

Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) PARITÁRIO

Universidade Federal da Paraiba (UFPB) PARITÁRIO

Universidade Federal de Alagoas (UFAL) PARITÁRIO

Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL) 70/15/15

Universidade Federal de Amazonas (UFAM) PARITÁRIO

Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) 70/15/15

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) UNIVERSAL

Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) 70/15/15

Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) PARITÁRIO

Universidade Federal de Lavras (UFLA) PARITÁRIO

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) 70/15/15

Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) 70/15/15

Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) PARITÁRIO

Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) PARITÁRIO

Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) PARITÁRIO

Universidade Federal de Rondônia (UNIR) 70/15/15

Universidade Federal de Roraima (UFRR) 70/15/15

Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) PARITÁRIO

Universidade Federal de Santa Maria(UFSM) PARITÁRIO

Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) PARITÁRIO

Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ) PARITÁRIO

Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) 70/15/15

Universidade Federal de Sergipe (UFS) PARITÁRIO

Universidade Federal de Uberlândia (UFU) PARITÁRIO

Universidade Federal de Viçosa (UFV) PARITÁRIO

Universidade Federal do ABC (UFABC) 70/15/15

Universidade Federal do Acre (UFAC) PARITÁRIO

Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) PARITÁRIO

Universidade Federal do Ceará (UFC) 70/15/15

Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) PARITÁRIO

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) PARITÁRIO

Universidade Federal do Goiás (UFG) PARITÁRIO

Universidade Federal do Maranhão (UFMA) 70/15/15

Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) PARITÁRIO

Universidade Federal do Pará (UFPA) PARITÁRIO

Universidade Federal do Paraná (UFPR) PARITÁRIO

Universidade Federal do Piauí (UFPI) 70/15/15

Universidade Federal do Reconcavo da Bahia PARITÁRIO

Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) PARITÁRIO

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) 70/15/15

Universidade Federal do Semi Árido (UFERSA) 70/15/15

Universidade Federal do Tocantins (UFT) PARITÁRIO

Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) 70/15/15

Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) 70/15/15

Universidade Federal dos Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) PARITÁRIO

Universidade Federal Fluminense (UFF) PARITÁRIO

Universidade Federal Rural da Amazonia (UFRA) PARITÁRIO

Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) PARITÁRIO

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRRJ) PARITÁRIO

Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) PARITÁRIO

 
Fonte: UnB Ageências



Economia UEM começa discutir tema

Ponto de Pauta da última reunião do CAECO (14/06), a discussão será ampliada no 2° semestre.
O tema surge com força depois das sequências de eleições que passamos.

Devemos destacar, que a PARIDADE é ponto de Pauta de reinvindicação levantada em Assembleia de curso dos Acadêmicos de Economia, junto com a Carta que será entregue na Posse do novos Diretores do CSA. As reinvindicações foram levantadas ainda antes da eleição do CSA Assembleia Geral de Estudantes de Economia constrói Pauta de Reivindicações a ser entregue aos próximos Diretores do CSA

Como ressaltou o Diretor do CA, Raúl Durlo, a Paridade é uma opção, que não representa a melhor, ou a mais Democrática, até porque temos o voto universal e outras opções que poderão ser levantadas.

Quem vai decidir a posição dos Acadêmicos de Economia da UEM será, como sempre, os Acadêmicos de Economia da UEM. O tema fará parte da Agenda na volta do 2° semestre e as boas discussões nos levarão, certamente, a grandes resultados.